Últimos assuntos
» [Jogo] — Retrato
Sab Out 13, 2018 4:44 pm por Yuko

» [Jogo] — Aleatórizador
Sab Out 13, 2018 4:29 pm por Yuko

» Bom Dia, Tarde e Noite.
Sex Set 07, 2018 2:19 pm por Janna

» Exploração — Yoshino & Haley
Sab Ago 18, 2018 7:34 pm por Mathito

» Cap. IV — And the seas are frozen in time...
Sex Ago 17, 2018 11:20 pm por Sammy

» Dados — Yuki Asahina
Qua Ago 15, 2018 11:01 pm por Dados

» Descrição — Exploration Center
Qua Ago 15, 2018 5:48 pm por Apollo

» #6 - Dobradores de Areia
Seg Ago 13, 2018 10:36 pm por Mathito

» [Sugestão] Pontuação Contest Hall
Seg Ago 13, 2018 10:28 pm por Mathito


[Cap.11] — Dragon's Fire

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[Cap.11] — Dragon's Fire

Mensagem por Sammy em Sab Jun 23, 2018 12:34 pm

Dragon's Fire
Mal havíamos chegado naquela floresta estranha e já conseguimos ser afetados por todo aquele sol. Eu estava suando como uma Miltank prenha e Lickilicky conseguia babar como uma cachoeira. Aquela com muita certeza seria uma aventura muito desconfortável e calorenta. Eu vou dizer agora e que seja a última vez, odeio calor e espero que o Sol exploda e engula toda o sistema solar o mais rápido que o possível. Sério, que loucura.

Voltando ao foco flamejante. O ônibus partia e apenas nós descíamos, não tinha ideia do porque daquele povo não ter vindo conosco, não eram todos aventureiros? Pensei e com poucos segundos pude entender o motivo daquela treta... Eles não queriam morrer! Que beleza! Fomos tapeados. De qualquer jeito, eu vim para o inferno em floresta para ficar rica e alimentar Lickilicky até que ele entrasse em coma alimentar.

Com o ato clichê de segurar na pata gorda e rosada do grandalhão, segui junto dele para dentro daquela floresta maluca! Vamos morrer queimados, mas morreríamos por dinheiro! Que épico.


Última edição por Sammy em Seg Jun 25, 2018 1:43 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Feminino
Mensagens : 496

Admin
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Cap.11] — Dragon's Fire

Mensagem por Sammy em Dom Jun 24, 2018 1:32 am

Dragon's Fire
Mal tínhamos chegado na grande floresta chamuscada e já éramos recebidos com muito calor. Era evidente que aquela floresta não estava bem. Muitos diziam que a causa de toda aquela confusão era a bênção dada pelo lendário Entei, mas para mim a razão de todo fogaréu era nós mesmos. Todas as construções naquela área poderiam muito bem ter irritado os pokémons. Passei por muitas situações sobrenaturais ou espirituais minha jornada, mas algo ainda me mantinha desacreditada neste tipo de coisa. De qualquer forma tinha sido mandada juntamente com Lickilicky e meus outros pokémons para ajeitar aquela confusão, deveríamos apaziguar as coisas ao mesmo tempo apagar todas as chamas.

Lickilicky e eu descíamos do ônibus rapidamente. O rosado seguia tomando partida e se distanciando de mim quase que instantaneamente. Poderia ter o seguido de primeira, mas a atitude dos demais treinadores me trouxeram um pouco de medo. Diferente de mim e de Lickilicky, eles escolheram ficar no ônibus desistindo da missão sem mais nem menos, poderiam estar com medo ou estavam apenas com muita preguiça. Tentei ser otimista insistindo na segunda opção.

Finalmente me virei para a paisagem caótica atrás de mim, era simplesmente tenebroso e surreal a quantidade de chamas vivas naquele lugar. Estava muito assustada e queria recuar imediatamente, contudo alguma coisa ainda mantinha minha coragem viva, aquele sentimento pequenino aquecia meu espírito me dando forças para continuar. Dava o primeiro passo para dentro do fogaréu, depois um e depois mais um, por fim já estava completamente inserida em minha missão.  

Com poucos segundos de caminhada já me encontrava com Lickilicky, o grandalhão se mantinha sentado sobre um pequeno arbusto escarlate papeando com uma garota de roupas estranhas, ela estava de ponta cabeça em cima de um galho. Ia até eles com calma e tranquilidade e talvez um pouco de medo. Assim os cumprimentava — Ei, oi Lickilicky... E... Garota que eu não faço ideia! — O pokémon gemia como de costume voltando os cumprimentos, enquanto a menina continuava na posição estranha mas também dava as cortesias — Ah! Oi! — Ela acenava com muita educação e depois girava seu corpo entre o galho descendo com muita elegância e perfeição — Tudo bem? —  Ela perguntava e se esticava ao mesmo tempo, assim continuou sua fala — Sou a Pei Ling! — Era com muita certeza um nome bastante diferente para a região de Aurille, nem mesmo Twinfist possuía nomes tão estranhos e orientais — Sou Yoshino e estou muito bem! Apesar de que estou com um pouco de medo... — Minha voz tremula e fisionomia esbranquiçada denunciavam meu pavor, Pei Ling gargalhava — Não tenha medo! O fogo não pode pega-la se estiver o tempo todo em movimento! — O fogo? Fogo não é bem um elemento? Era uma situação realmente estranha para mim — Ei... — A miudinha de corpo esguio olhava para o lado e corria para dentro de um dos vários arbustos, com um salto forte ela pulava em um galho e depois em outro ficando fora do alcance do solo. Deveríamos persegui-la? Com certeza.

Pei Ling continuava a saltar de árvore em árvore não notando nossa presença, enquanto o rosado e eu a seguíamos por dentro da floresta flamejante. Ela era uma garota muito habilidosa e rápida, cada salto que dava era uma acrobacia diferenciada. Era difícil acompanha-la entre tantas árvores mortas, mas com sucesso e bastante sorte havíamos conseguido alcança-la. De forma curiosa a razão de seu desespero era uma rocha pontiaguda de fisionomia triste.

Ótimo... Outro Solrock corrupto... — Pei se colocava em posição de batalha, talvez ela fosse enfrentar aquele pokémon usando suas próprias mãos, algo que seria muito bacana. Nós chegávamos um pouco atrasados naquela confusão, mas a garota logo arranja um lugarzinho especial na briga — Eu não tenho tempo para isso! — Ela pulava sobre o pokémon em forma de sol e subia novamente em uma árvore enquanto voltava a correr em direção ao nada. A criatura olhava em nossa direção com sua expressão deprimida juntamente com seus olhos brilhando na cor roxa — Mesmo não procurando as brigas sempre nós encontram... Pode dar conta? — Olhei para Lickilicky que me respondia acenando com sua cabeça e um olhar sério.

____________________________________________________________________

O cenário ao nosso redor era bastante acinzentado e ao mesmo tempo avermelhado. Resumidamente, estávamos em uma floresta aberta com uma grande trilha de terra que poderia ser usada de forma estratégica por ambas as partes. Alguns fogos apareciam repentinamente em volta do cenário flamejante. O pedregulho solar tinha algumas vantagens, mas Lickilicky parecia ser bem mais experiente, modéstia à parte.  

Lickilicky use o Stomp! Acabe com isto rapidamente temos coisas para fazer! — Era óbvio que queria pergunta várias coisas para a estranha Pei Ling, mas neste meio tempo ela já estaria no final da floresta ou quem sabe nem estivesse mais nesta área. Em todo caso, não era hora de pensar naquilo a batalha havia começado e Lickilicky estava em risco.

O linguarudo conseguia ser bem mais rápido que o seu oponente. Ele saltava para o alto e colocava sua pata direita em frente ao seu corpo enquanto mirava um Stomp poderoso contra o Sol de Pedra. Lickilicky caia com os pés em cima de seu oponente esmagando seu rosto duro sem nenhum tipo de piedade, a criatura não mudava expressão, ele apenas tomava voou novamente e voltava a flutuar em frente ao rival. A pedra solar girava seus espinhos em torno de si mesmo formando um clássico Fire Spin, ele girava tão rápido que fazia com que as pontas de seus ferrões pegassem fogo. Um golpe muito curioso para um pokémon que parecia nem se quer ter emoções.

Apesar de ser um tanto quanto estranho, esse bicho tem golpes um tanto quanto bonitos... Enfim, Lickilicky use o Defense Curl!

Lickilicky me ouvia com atenção e tornava a completar a ordem sem medo. Ele se colocava em forma de bola e quicava várias vezes no mesmo lugar, o Defense Curl tornava seu corpo ainda mais resistente e irritante, pois cada golpe no qual ele levasse ele quicaria como uma bola e não sofreria nenhum tipo de ferimento. A rocha olhava fixamente para Lickilicky naquela forma, com alguns segundos ele formava um Confusion com pequenas ondas psíquicas que penetravam a defesa do gorducho. A bola cor de rosa parava os quiques enquanto recebia o golpe tornando a tremer ameaçando largar a posição. Com sorte Lickilicky resistia e mantinha a defensiva. O animal rochoso nem mesmo ligava para aquela batalha, ele não estava frustrado na verdade estava até que bem tranquilo, ou pelo menos parecia.

Muito bem Lickilicky! Agora use o Rollout! — Ordenei pensando que aquele golpe seria o último.

A bola recolhia bastante impulso girando para trás, em seguida ele liberava toda a força indo em direção à pedra sem sentimentos. O pequeno sol voava para o céu e caia sobre o mesmo com força, Lickilicky retornava para cima do oponente com outro Rollout que fazia com que o pequenino desmaiasse sem mais. O solzinho fechava seus olhos e de seu estranho corpo uma estranha energia negra era expelida, algo realmente estranho, mas de qualquer forma era uma pista.

____________________________________________________________________

Lickilicky havia vencido a batalha como o esperado, corria até ele dando lhe um grande abraço. O gorducho parecia não ter se importando muito com a briga, na verdade não havia nem se quer saído ferido. Apesar de muito orgulho precisávamos voltar a nossa atenção para a estranha Pei Ling que agora estava desaparecida.

Seguimos nosso caminho procurando por algum rastro de Pei ou do que havia causado toda aquela confusão na estranha Scorched Florest. Com a caminhada pude ligar um pouco dos pontos e pensar um pouco mais sobre a energia daquele pokémon desconhecido, talvez aquela espécie fosse a culpada pelos acontecimentos? Ou teria algo os controlando? De toda maneira precisaríamos encontrar aquela garota do oriente, era óbvio que ela sabia de algo e não conseguiu nós contar.

Eu iria encontrar Pei Ling e resolver aquela situação nem que fosse a última coisa que fizesse em minha vida, aquele trama era tudo que precisava em minha aventura, um pouco de mistério e ação, só ali poderia matar dois coelhos em apenas uma cajadada.  


____________________________________________________________________
Dados
Com o fiasco da narração anterior resolvi refaze-la com minha essência clássica.
avatar
Feminino
Mensagens : 496

Admin
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Cap.11] — Dragon's Fire

Mensagem por Apollo em Dom Jun 24, 2018 6:32 pm

AVALIAÇÃO
Boa noite! Irei avalia-la. Sendo bem direto, achei o texto bastante curto e acredito que você não tinha realmente o objetivo de criar um texto bem detalhado e aprofundado, visto que você quis recriar o quê havia narrado nos textos anteriores. Comparando a postagem anterior, fiquei feliz em ver você devolvendo a essência um tanto quanto infantilizada da Yoshino, assim por dizer, visto que você tentou mudar isto repentinamente.

Você não havia dado uma historia tão profunda para Yoshino chegando no local ou encontrando Pei Ling, levando-me a pensar que a sua batalha seria bem detalhada, profunda ou bem descrita. Infelizmente, estava errado. A batalha foi rasa, tive dificuldades em interpretar o quê você estava querendo descrever com os movimentos e derroto do Solrock com apenas dois movimentos — pouco efetivos ao tipo rochoso, Stomp do tipo normal e Rollout do tipo rocha — me pareceu irreal e inconsistente.

Visto que você optou por refazer os acontecimentos anteriores, terei que invalidar a avaliação e os acontecimentos da postagem anterior, assim com os níveis ganhos e afins.

Espero que você consiga melhorar nas suas postagens seguintes em sua trama pelo o evento da floresta em chamas e que consiga desenvolver um bom enredo para as suas postagens seguintes. Desejo-lhe boa sorte!

Enredo: 1/5
Escrita: 4/5
Total: 5/10
Bom

potion
Lickilicky subiu para o nível 36.
Yoshino encontrou uma Potion presa em um dos arbustos.

Estado: Lickilicky encontra-se com um leve mal-estar devido o movimento "Confusion", utilizado por Solrock. É melhor segurar a sua mão ou ele pode acabar caindo!
Lickilicky's HP: 90% | Confuso
avatar
Masculino
Mensagens : 472

http://aurille.forumeiros.com
Admin
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Cap.11] — Dragon's Fire

Mensagem por Sammy em Ter Jun 26, 2018 3:35 pm

Dragon's Fire
Pei Ling ainda estava desaparecida, mas não importava, nós iríamos encontra-la cedo ou tarde. Aquela menina estranha possuía muitos segredos guardados para si, era óbvio que ela estava atrás de algo. Todo aquele mistério só me deixava ainda mais curiosa.

Seguimos caminho afora procurando por alguma pista de Pei Ling, ou pelo menos algo que poderia ser relevante em nossa investigação. Lickilicky e eu nós mantínhamos juntos procurando por informações ou pistas ao redor. O linguarudo procurava por qualquer tipo de vestígio entre as árvores e arbustos, enquanto eu visualizava todo o cenário em minha volta.

Me ajoelhava no solo carbonizado reparando uma pequena faisca que crescia próxima a mim. Aquela migalha de fogo crescia rapidamente de uma hora para outra formando uma grande labareda quase que em frente ao meu rosto, conseguia evita-la impulsando meu corpo para trás caindo de quadril no chão, enquanto a chama queimava o mínimo de cinzas que ainda restava sobre o solo. O rosado corria em minha direção colocando as mãos sobre os meus ombros. Ele havia ficado um tanto quanto preocupado, mas era evidente que eu estava bem. De qualquer forma, era simplesmente horrível ver aquele fogo descontrolado engolindo tudo em seu caminho. Eu poderia ter sido mais uma das vítimas se não tivesse desviado daquele fenômeno.

Uf... É isso que uma explorada passa Yoshino... É isso que a gente passa... — Disse para mim mesma enquanto me levantava com esforço e ajuda de Lickilicky. Com o tempo conseguíamos ouvir sons de queima e incêndios vindo por todas as partes, não tinha ideia do que estava sendo queimado naquele exato momento, mas não ficaria ali para descobrir. Segurava a pata de Lickilicky, assim pegava a primeira trilha que encontrava.

Corríamos de forma aleatória, contornando toda labareda que encontrávamos pelo caminho. A cada olhada em qualquer dos lados conseguia ver de perto um novo pilar de fogo; Que devo assumir, eram assustadores mas também muito bonitos. Seguíamos dentre a floresta sem ao menos saber onde pararia, eu não me importava de estar perdida, me importava com nossas vidas que estavam em risco naquele momento.

Em meio toda confusão nós deparávamos com uma clareira que parecia não ser afetada pela estranha magia. O lugar era um tanto quanto bonito, possuindo poucas árvores e muita luz do sol. Apesar de ser um lugar muito confortante e misterioso, o que realmente chamava minha atenção era uma pequena fonte em forma de algum pokémon, que provavelmente era Entei. Aquela milagrosa nascente jorrava água para todos os lados. Soltei Lickilicky o deixando andar para onde quisesse. Desta forma me dirigi até o pequeno chafariz,o  admirava por alguns segundos até que finalmente tomava coragem e colocava minhas mãos dentro do mesmo. Um segundo ao outro meus olhos eram fechados e minha mente entrava em transe.

Meu corpo era circundado por uma aura clara, poderosa e agradavelmente quente. Uma grande chama inofensiva se formava em meus pés e subia até minhas pernas resplandecendo de forma bela ao mesmo tempo sagrada, ela pulsava e se mexia como uma lareira, porém, não me machucava.  Aquela energia fazia-me brilhar intensamente, mantendo meus olhos fechados enquanto uma imagem vinha em meu subconsciente, algo como se eu estivesse sonhando acordada.

Estava em um novo lugar, um lugar muito agradável, uma planície de grama amarelada e brilhante. Em um monte, uma grande árvore de folhas douradas era erguida, ela se balança dançando com a brisa suave daquela dimensão. Claramente não entedia nada, apenas seguia o caminho no qual sentia que devia seguir. Me aproximava da árvore, sentava em uma de suas raízes e a admirava por vários minutos. Surpreendentemente, um pokémon peludo e gigantesco saltava de dentro das folhas daquela mística árvore. Ele parecia calmo não demonstrando perigo. Era um lugar muito curioso que não me causava medo, nem mesmo aquele pokémon conseguia me assustar, estava familiarizada com aquela região.

A criatura quadrúpede se sentava ao meu lado e bufava — Humf... Estranho não é mesmo? — Aquele pokémon possuía a voz grossa ao mesmo tempo sábia. Havia o ignorado no primeiro momento até que finalmente o respondi — O que? — Olhava para ele confusa, não estava surpresa com ele falando, por algum motivo. Ele gargalhava e voltava  — Este calor... Este mundo... É tudo tão estranho para mim. — Ele voltava a bufar, assim prosseguia  — Yoshino, como é ser tão ingênua? — Aquela pergunta entrava em minha cabeça e como resultado soltava uma resposta rápida — É bom. — A criatura ouvia minha resposta, se levantava e olhava para a paisagem em sua frente, depois voltava a atenção em mim — Peço desculpas por toda a confusão. E-eu não queria causar isto... — Ele se desculpava por algo que eu não tinha ideia do que era, não conseguia-a responde-lo apenas me mantinha olhando para o grandalhão — Apenas conserte isso... Evite algo maior... Por favor. — Ele me admirava e fazia questão de deixar claro. Não sabia por que motivo de estar naquele lugar. Porém mesmo assim tentava conforta-lo — Eu não sei quem é você ou o que é... Mas eu vou ajuda-lo... De todo o jeito! Pode apostar. — Levantei-me daquela grande raiz e levantei meus punhos para o alto. O pokémon sorria — Siga a trilha de cascalhos e encontrará uma parte deste quebra cabeça — Com estas palavras, ele saltava em direção ao nada, abrindo um pequeno portal no qual ele entrava e sumia no mesmo segundo. Olhei para aquela árvore por mais alguns segundos até que aquela imagem literalmente se despedaçava em minha mente, de um segundo para o outro voltava ao meu mundo e com as mãos ainda dentro daquela fonte.  

É... Isso foi estranho, cara... — Retirava minhas mãos de dentro daquela água, olhava para a direita e me deparava com Lickilicky um tanto quanto assustado — Ei gorducho, eu estou bem! — Ele suspirava aliviado e sem mais ia em minha direção, abraçando meu corpo o mais forte que podia. Finalizava aquela carícia, olhava nos olhos de Lickilicky — Precisamos encontra uma trilha... Pode me ajudar? —  Linguarudo acenava com a cabeça aceitando minha proposta.

De qualquer forma, tentávamos seguir nosso caminho evitando falar sobre o assunto. Deixávamos a clareira abandonando a estranha fonte que poderia ser benigna, mas não deixa de ser tenebrosa. Poucos passos já foram necessários para encontrarmos uma pequena trilha decorada com cascalhos, assim como a criatura havia dito. Seguimos aquela passagem buscando por algo revelador, bem... Foi o que encontramos.

Dávamos de cara com uma espécie de Templo Pokémon carbonizado, sem medo adentrávamos a ruína de madeira explorando o que restava. Olhávamos cada pilastra, piso e armazém que havia restado da devastação, precisávamos ser rápidos ao mesmo tempo objetivos, todas aquelas cinzas poderiam atrair aquelas chamas até nós sem nenhum problema. Com sorte encontrava dentre uma pilha de destroços uma pequena foto de Pei Ling, a estranha. De acordo com aquela pista, Pei Ling tinha uma grande conexão com aquela floresta e a mesma havia perdido tudo com os incêndios, mas por que daquela garota continuar naquela confusão? Estava atrás de que? Bem, eram muitas perguntas sem respostas.

Continuei explorando aquele templo, enquanto Lickilicky tentava tirar algumas cinzas de sua língua. Antes mesmo que fôssemos perceber quatro criaturas nós cercava e bloqueava nosso caminho. Todas possuíam a mesma aura obscura que o pedregulho Solar que enfrentamos anteriormente. Aquele templo parecia não ter as atraído, mas de qualquer forma teríamos que derrota-las ali mesmo. Apontava para Lickilicky — Vamos ter que lutar agora, tá pronto né? — O colocava em batalha de uma vez. Os quatro pokémons possuíam quatro caudas cada e pareciam prontos para lutar — Vulpix! — Grunhiu um para o outro.

____________________________________________________________________

Apesar daquela ruína estar completamente queimada, ainda possuía alguns obstáculos que poderiam atrapalhar tanto Lickilicky quanto os demais pokémons. O lugar era bem fechado e não possuía teto como uma construção comum, este deve ter sido queimado em meio ao incêndio.  

Lickilicky use o Wrap para puxar algum deles, e depois o Stomp para pisoteá-lo — Fui clara e bem estratégica.

o linguarudo lançava sua língua contra um de seus alvos o puxando para perto de si usando o Wrap. Com um de seus oponentes próximos, ele levantava sua pata gorda e pisoteava o pequeno corpo da raposa causando danos consideráveis com Stomp. A raposa saltava e se levantava rapidamente. Ela abria sua pequena boca e disparava uma grande labareda contra Lickilicky, era um clássico e poderoso Ember que queimava o grande corpo rosa do seu adversário. O outro canino do tipo fogo aproveitava o momento e corria até Lickilicky utilizando uma investida de Quick Attack. Ele nem se quer esperava o linguarudo se levantar do golpe anterior e já acertava o grandalhão com uma investida rápida. O terceiro remexia sua cauda formando um quatro pequenas chamas que voavam contra Lickilicky queimando seu corpo, aquele era um Will-O-Wisp. Por fim, o último atacava o gorducho com uma investida sombria, um Feint Attack que finalizava com o grandalhão o nocauteando de uma só vez.    

Droga! Lickilicky — Corri em direção ao corpo do pokémon desmaiado, ele estava zonzo e não conseguia nem se quer se levantar. Eu não poderia retorna-lo para sua pokébola pois ele não possuía uma, o que eu poderia fazer?  — Lickilicky... Venha comigo... — Colocava o pokémon apoiado sobre o meu corpo enquanto tentava sair daquela batalha.

Antes mesmo que conseguisse sair daquela confusão, uma das criaturas entrava em meu caminho e rosnava em minha direção. Não tinha outro jeito, tinha que batalhar mesmo com Lickilicky ferido — Amigo fique comigo... Raticate e Magnemite vão! — Lançava ambas as criaturas para dentro da briga. Os dois pareciam confusos com a situação mas também dispostos para a luta. Raticate olhava seu amigo rosado desacordo, ele entendia que aquilo era um duelo critico, enquanto Magnemite ainda não estava percebendo nada — Pessoal não tenham medo! Magnemite Thunder Shock e Sonic Boom! Raticate Sucker Punch e Crunch!

O camundongo conseguia ser o mais rápido no campo. Ele carregava seu punho direito com uma energia sombria, depois esmurrava uma das raposas no queixo usando seu Sucker Punch. A criatura era arremessada para cima e com alguns segundos caia de volta no chão. O animal balançava seu rosto tentando entender o que estava acontecendo, já são, ou melhor liberto daquela aura negra ele corria para fora da briga abandonando os seus parceiros.

Apesar de já ter derrotado um dos quatro rivais, Raticate não tinha terminado seu turno. Ele saltava de um lado para o outro se aproximando de um novo oponente. O rato abria bem sua boca fazendo com que seus dentes brilhassem intensamente em branco, em seguida ele mordia violentamente a raposa com um Crunch.  Ele levantava o pequeno animal vermelho pelas patas usando sua mordida, então o lançava para longe finalizando. A raposa era nocauteada e libertada daquela energia.

Havia sobrado apenas duas daquelas estranhas pokémon, elas se mantinham unidas e prontas para atacar.  Uma balançava sua cauda de forma elegante formando quatro fogos místicos que se dividiam entre Raticate e Magnemite, os fogos queimavam tantos os pelos de Raticate quanto a couraça de ferro de Magnemite, os pokémons acabavam por entrar em chamas por conta daquele Will-O-Wisp. Sua parceira abria a boca e formava uma grande flama que ia contra Raticate, aquele Ember causava ainda mais dores e queimaduras no corpo do peludo. Magnemite estava ferido, mas não tão quanto Raticate que estava literalmente pegando fogo e com queimaduras grotescas.

Era finalmente a vez de Magnemite, ele sobrecarregava seu corpo com energia elétrica e logo depois soltava tudo que havia recolhido em um Thunder Shock, que corria em direção à uma das raposas. O corpo da pequena era violentamente eletrocutado fazendo com que seus pelos se arrepiassem. Ela olhava para nós um tanto quanto confusa e assim como uma de suas colegas, também fugia da batalha. O ímã girava em volta de si mesmo formando um pequeno raio de som, ele disparava aquela onda poderosa contra a última criatura, que resistia bem ao Supersonic. Ela havia aguentado ao golpe de forma inacreditável. A pokémon cambaleava de um lado para o outro mas não caia.

Aguentem firme rapazes! Finalize isto Raticate com outro Crunch! — Gritei e liderei, aquela batalha havia passado dos limites.

Aquele rato flamejante fazia com que seus dentes brilhassem mais um vez por conta do Crunch. Ele literalmente voava até seu inimigo e o mastigava violentamente, a criatura como o esperado não resistia e tinha sua aura retirada a força.

____________________________________________________________________

Os quatro pokémons haviam sido derrotados com muita dificuldade. Eles poderiam estar muito machucados, mas agora pelo menos estavam libertos daquela energia. Os dois nocauteados se mantinham deitados no cenário. De qualquer modo, voltava meu querido ímã para seu recipiente. Enquanto mantinha Raticate ao meu lado. Lickilicky estava nocauteado e Raticate estava pegando fogo, eu não sabia como ajuda-los ou pelo menos faze-los com que parecessem de sofrer.

Com desespero não sabia o que fazer, recolhia minha bolsa e procurava meu manual de medicina, talvez pudesse poupa-los de algo usando meus talentos em Enfermagem. Sortuda, encontrava uma pequena vacina pela metade, a conhecia há muito tempo por conta de seu logo "Quem?madura". Aplicava um pouco daquele líquido nos pelos de Raticate e o incêndio em seu corpo parava quase que instantaneamente. Para Lickilicky, pude procurar um pouco mais e encontrar um pequeno doce que este adorava. Só bastou um pouco de criatividade e gulodice para que ele despertasse do coma.  

Ambos estavam mais que bem, logo não os poupava de abraços e outros carinhos  — Pessoal! Eu amo tanto vocês! — Envolvia meus braços no corpo gordo dos dois e ele também faziam o mesmo comigo.

Apesar da grande batalha que havia dito e do grande perrengue que aquela estranha criatura havia me colocado. Eu não tinha encontrado nada de tão impactante quanto parecia, ainda me perguntava o por que de ter sido colocada naquela dimensão? Enfim, era melhor não pensar muito naquilo. Prossegui meu caminho juntamente de meus dois Pokémons.

Com o caminho limpo conseguimos atravessar boa parte de floresta por vários e vários minutos, chegando até um morro íngreme de terra que pareciam não dar em lugar algum. Mas este não era importante. O solo próximo a barreira estava repleto de pegadas que aparentavam ser de sapatilhas de Kung Fu, muito semelhantes a sapatilhas usadas por Pei Ling. Aquele monte de terra não parecia ser muito complexo de escalar, pelo menos para mim. Pensei comigo mesma tomando uma difícil decisão — Certo! Vocês ficam aqui vou escalar isto, ok? — Nem mesmo vi a reação e resposta de Raticate e Lickilicky, já colocava minha bolsa sobre o chão, escalava aquele tolete enorme de terra e cinzas. Segurava em cada raiz e pedra exposta chegando até que rápido no topo do mesmo. Olhava para trás vendo meus amigos sentados no chão conversando entre si e esperando minha volta.

O mais novo cenário não era muito diferente dos demais possuindo a mesma tonalidade de cores e chamas, porém era enfeitado com bastante grama alta escondendo o solo. Desta vez tinha o que mais precisava em minha frente, Pei Ling. A garota estava observando curiosamente uma pequena muda que brilhava forte. Pei estava de braços cruzados e olhar bem atento, enquanto seus cabelos e roupas voavam com a brisa da floresta. Aquele lugar já me parecia conhecido, como se já tivesse passado por lá.

O único e primeiro passo que dava em direção aquela garota fazia com que todo os eventos anteriores voltavam em minha cabeça. De algum modo, aquela estranha planície ou melhor clareira se tornaria futuramente a visão que havia tido anteriormente com aquela criatura, é o mais curioso, o pokémon no qual teve contato comigo, não era nada mais nada menos que Entei. Havia tido uma experiência louca e era óbvio que Pei Ling sabia algo. Minha cabeça doía e uma tonteira logo vinha, mas mesmo assim corri em direção a garota mesmo sentindo que desmaiaria a qualquer segundo.

Pei Ling! — Gritava em nome da menina que olhava instantaneamente para trás — Cabelos rosa? O que faz aqui? Como chegou aqui? — Ela fazia múltiplas perguntas antes mesmo que percebesse que meu corpo estava quase se apagando — E-eu... N-não to bem não... — Caia de joelhos, enquanto em meu subconsciente outras imagens envolvendo as chamas da floresta vinham em minha cabeça — Não deixe que te corrompe! — Pei Ling gritava enquanto corria até meu corpo, ela me chacoalhava tentando me "salvar" — Me diga... O que você está procurando? MULHER! — A menina olhava assustada — Ahn? Cabelo rosa! — Gritou em meu nome até que minha visão ia embora sem mais ou menos, entrava em um sono profundo e aconchegante.

____________________________________________________________________
avatar
Feminino
Mensagens : 496

Admin
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Cap.11] — Dragon's Fire

Mensagem por Hermes em Ter Jun 26, 2018 4:34 pm

AVALIAÇÃO
Acompanhando a história do início percebo que ela está tomando um caminho interessante, acho bacana quando o autor preenche o enredo com segredos e mistérios e principalmente quando ele se utiliza da premissa (que neste caso é o evento) para desenvolver algo maior. Parabéns pela iniciativa de tornar a história instigante e nos deixar com aquela sobrancelha levantada e o pensamento de "o que será que vai acontecer?!". Ademais, com relação a escrita notei algumas palavras fora do contexto, comumente usadas fora do tempo verbal adequado, e pouquíssimos erros de grafia, infelizmente influenciaram na avaliação porque querendo ou não isso atrapalha o leitor, portanto, atente-se a essas observações nas próximas postagens.

Uma colocação pessoal: Levando em consideração o nível do Licky (interpretando que por ser o mais forte é também o de mais experiência em combate), me pergunto como caiu por terra tão facilmente por quatro raposinhas selvagens de nível inferior? E mais, Raticate e Magnemite tê-los derrotado tão rápido e com poucos golpes. Penso que faltou um senso de nivelação, mas nada que interfira na sua nota, é apenas um toque particular.

Veredito:

Enredo: 5/5
Escrita: 3/5
Total: 8/10
Muito Bom


Lickilicky subiu para o nível 38;
Magnemite subiu para o nível 20;
Raticate subiu para o nível 27.

Estado: Lickilicky está um pouco mais feliz após o doce, mas ainda sente dores, principalmente queimação nas juntas. Melhor evitar longas caminhadas e fazer breves pausas para refrescar.
Lickilicky's HP: 50% |  Burn

Estado: Raticate está curado das queimaduras, apesar dos infortúnios, passa bem.
Raticate's HP: 75%

Estado: Magnemite é de longe o que está mais debilitado. As queimaduras reagem ao clima quente tornando uma tortura para o corpo metálico do pequeno ímã.
Magnemite's HP: 85% |  Burn
(Não percebi tentativa de cura para o estado dele (e do Licky), então considerei ainda estar queimado).
avatar
Mensagens : 121

Pesquisador
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Cap.11] — Dragon's Fire

Mensagem por Sammy em Sab Jun 30, 2018 11:26 pm

Dragon's Fire
Estava em novo cenário, um cenário macabro e escuro. Aquele lugar era iluminado por várias tochas que iam de uma ponta a outra formando uma longa trilha de chamas, as paredes eram feitas de pedra que eram tão lisas quanto o chão. Estava sentada sobre uma plataforma também de pedra, que se parecia com alguma espécie de altar macabro, observando tudo em minha volta. Me levantava de cima daquela coisa horrível e por fim seguia o caminho no qual era iluminado.

Percorria todo aquele corredor macabro, ouvindo meu coração que pulsava forte, pude sentir minhas respirações e passos enquanto caminhava assustada pronta para me deparar com o desconhecido. Chegava ao fim do corredor, encontrando uma espécie de trono, no qual uma estranha silhueta se sentava. A criatura ou pessoa apontava para mim fazendo com que outras sombras saíssem da escuridão.

Aquele esquadrão sombrio partia em minha direção de forma agressiva empunhando espadas samurai e adagas. Tentei de todos os modos gritar pedindo por socorro só que de alguma forma era impedida e nada de minha garganta saia. Tentava me mover para quaisquer dos lados, mas algo me bloqueava. De repente uma das sombras se aproximava o suficiente de mim, levantava sua arma pronto para me atacar... Mas.

Nyan!

Acordava daquele sonho doido nós braços de Lickilicky, ao mesmo tempo em que era contornada por Pei Ling e Raticate. A garota de roupa estranha e cabelo bonito olhava assustada em minha direção, na verdade todos ali olhavam com a mesma careta — Ufa... Essa foi tenebrosa... — Me levantava do abraço do gorducho e olhava para o céu observando o sol que ainda estava vivo. Pei Ling se colocava em minha frente interrompendo minha vista — Menina, o que você viu? Qual foi a visão? — Perguntou a guria — Eu não faço ideia, não entendi bulhufas... Deve ser só uma viagem da minha mente, entende? — Respondia de forma informal mas não esperava que ela entendesse — Mas agora me diz ai... Qual é a sua? O que você procura? — Pei Ling suspirava fundo, olhava de forma suspeita de um lado para o outro e então respondia baixinho — Estou atrás da Chama de Entei... Entende? — Raticate, Lickilicky olhavam desconfiados um para o outro. De alguma forma acabei conseguindo entender o que a garota procurava — Chama de Entei... Chama de Entei... Chama de Entei... — Repeti várias vezes buscando por algo no fundo do meu subconsciente — Chama de Entei! A foto não era a pista! A Chama era a pista! Ela que pode causando isso! — Pei me observava e então falava curiosa — Onde ela está? Onde?! — Gargalhei para mim mesma muito animada — Está no Templo Pokémon no Centro da Floresta, a gente precisa ir lá! — Apontei morro abaixo enquanto Pei Ling olhava um cabisbaixo — Aquele velho Santuário? Não... Não tem nada lá! Eu já revirei ele de ponta a cabeça... É perda de tempo... E-Eu preciso continuar minha busca. — Ela se virava e corria floresta afora — Pei Ling! Lá tinha uma foto sua! — Gritei em vão pois a estranha já estava longe.

Era óbvio que voltaríamos para aquele templo e com minhas próprias mãos pegaria o artefato que Pei Ling tanto procurava. Olhei em direção aos meus Pokémons e logo os liderei — Vamos nessa galera! — Um fechava seu punho e outro pulava de alegria, assim me seguiam como verdadeiros discípulos ou melhor melhores amigos.

Partimos em direção ao santuário, a viagem não seria tão longa e nem demoraria muitos minutos. Atravessamos alguns arbustos e árvores encontrando com sorte a trilha de cascalhos que nós levaria até o nosso destino. Por fim, chegávamos de volta ao templo queimado que agora parecia tão chamuscado quando anteriormente.

Raticate não precisava ser usado naquele momento, por conta disto o retornava para sua esfera assim o desejava um bom descanso — Volte dentuço, você será útil mais tarde! — Com apenas um pokémon ao meu lado conseguia liderar sem nenhuma confusão.

Logo ordenei que Lickilicky fosse explorar todo o santuário de ponta a ponta não deixando quaisquer pó intacto. Olhávamos cada pedaço de madeira, cada amontoado de cinzas, cada recipiente ainda intacto com fé que iríamos encontrar o estranho artefato. Passou-se alguns longos minutos até que finalmente nós deparávamos com uma grande parede de metal carbonizada, a mesma possuía uma espécie de encaixe misterioso no qual não tínhamos reparado na primeira visita. Observámos aquele vão por alguns segundos podendo logo nós precipitar — Alguém roubo essa peça! — Disse bastante curiosa ainda olhando aquele encaixe. Meu pokémons parecia ainda não entender a situação, mas o gorducho parecia um tanto quanto intrigado.

Pensei que aquela estranha peça poderia ser a tão clamada Chama de Entei, ou não, de qualquer forma era mais um grande mistério para nossa aventura. Finalmente conseguimos sair daquele santuário partindo mais uma vez floresta adentro, mas com um objetivo em mente.

Meus passos estavam cada vez mais rápidos. Mesmo não sabendo onde chegaríamos, não desistia tentava animar o trambolho que estava cada vez mais cansado e suado — Vamos fofão! Somos os heróis! — Lidera-lo ficava mais difícil, pois não possuía nem mais um agrado em minha bolsa e para piorar ele ainda estava ferido. Ele possuía grandes queimaduras em seu corpo, duvidava que ele conseguiria aguentar muito tempo, mas de todo jeito tinha que arriscar com o gorducho.

Nossa caminhada apenas nós mostrava que a floresta estava fadada a queimar por um bom tempo. Começava a duvidar que a causa daquele incêndio era apenas o verão rigoroso ou Entei, algo em meu subconsciente me falava que havia dedos de humanos naquela situação. De qualquer jeito, eu não desistiria de minha missão mesmo que morresse queimada lá mesmo, precisava salvar aquela floresta e seus pokémons.

Já estávamos em um local novo, que estavam tão caótico quanto todo o restante. As chamas brilhavam em azul vivo, ao mesmo tempo que várias explosões de fogo apareciam repentinamente sem nenhum tipo de aviso, diferente das chamas anteriores que apareciam a partir de uma faisca. Andávamos ao redor de todo aquele fogo cerúleo evitando-o o máximo. Lickilicky segurava firme em minhas mão, enquanto admirava toda aquela beleza destrutiva.

Com mais alguns minutinhos em meio todo o caos, chegávamos em um curioso cenário que não era tão diferente do anterior. O que realmente nós chamava a atenção, era duas meninas ajoelhadas sobre o chão instalando um dispositivo no solo.

Ambas eram de pele branca, cabelos longos e coloridos. Uma possuía uma combinação de cores vermelha e rosa, usando um macacão aberto e uma regata branca colada. Enquanto a outra era exatamente igual a sua amiga, só que esta optava por outras cores.


Nós aproximávamos das garotas com muito cuidado. Elas não pareciam muito amigáveis, mas insistia nos bons e velhos cumprimentos — Olá meninas! — Ambas olhavam em nossa direção assustadas, a de trajes vermelhos e de cara marrenta logo tomava a iniciativa um tanto quanto rude — Cai fora daqui enquanto vocês tem tempo. — Ela dizia de forma bem ameaçadora enquanto apontava seu dedo em meu rosto — Ei qual é a sua? — Voltava a perguntar procurando encontrar um assunto pelo menos com a de amarelo — Cai fora. — Ela continuava com a falta de educação, até que sua parceira finalmente entrava na discussão — Hongsè... Não seja má! Ela pode ser legal! — A amarelada era bem animada e tinha suas pálpebras um tanto quanto esbugalhadas, como se estivesse medicada ou sobre o efeito de algo. Ela parecia ser tão estranha quanto Hongsé, a de cor vermelha — Ei esperem um minuto... — Pausei, então olhei para a pequena máquina por alguns segundos, reparando o disco no qual girava em seu topo. Aquele artefato tinha o formato um tanto quanto familiar para mim — Onde encontraram esse pedaço de chumbo? — Falei de forma informal tentando manter meu sigilo — Ahahahaha... HAHAHA! Encontramos em um Santuá... — A zangada estapeava o rosto de sua parceira sem pena — Huangsè... Cala a boca. — Eu não conseguia fazer outra coisa além de observa-la — Consegue ver esse fogo? — Ela apontava para as chamas ao redor, enquanto sua amiga se levantava do chão — E-Eu consigo! — A estranha Huangsè respondia avulsa. Aquelas meninas não eram pessoas de bem, eram simplesmente psicóticas e não falavam nada com nada — Eu sabia que esse é o encaixe do Templo! Passa pra mim! — Não era intimidada por aquelas gurias — Você não respondeu... Consegue ver o fogo? — Disse Hongsé — É... Consegue? Hehehe... — Completou a outra — Vocês são estranhas... Me passem logo essa coisa! — Insisti atravessando entre ambas as garotas, enquanto Lickilicky me seguia sem medo — Vocês dois são bem intrometidos... — Dizia Hongsé enquanto deslizava as mãos em direção ao bolso recolhendo uma PokéBall. Me virei quase que instantaneamente colocando tanto meu pokémon quanto eu em posição agressiva — Ei! Você não pode atacar outro treinador pelas costas, qual é a sua? — A marrenta parecia não ligar muito para as regras de batalha pokémon, de todo modo eu não iria batalhar, não naquele estado — Não queremos batalhar, sério! — A doidinha de cor amarela olhava fixamente para mim — Hehehe! Ela está com medo Hongsé! Vai nessa Minior! — Obviamente não estava com medo — Você não pode querer batalhar... Mas nós queremos! Vá Minior! — Ambas estavam me ignorando lançando seus Pokémons. Podíamos apenas ter ido embora de primeira, mas ainda precisava daquela peça. Arriscando, eu nós colocava em batalha.

____________________________________________________________________

Aquelas criaturas eram bastante rechonchudas, uma possuía uma grande casca dura que envolvia todo o seu corpo, enquanto a outra era brilhante e de cor vermelha viva. Ambas pareciam muito felizes, pois além de uma demonstrar um grande sorriso, a outra se balançava no ar bem agitada.

O cenário ao redor era bem caótico, sendo rodeado por chamas azuladas. Algumas árvores estavam sendo incendiadas pelo estranho fogo, ao mesmo tempo que este queimava por toda a parte. Era óbvio que aquela batalha deveria ser rápida pois assim conseguiríamos evitar o pior.

Usaria Lickilicky naquela batalha poupando Raticate da confusão. Escolhia Magnemite como o parceiro do rosado naquela situação. Liberava o magneto que saia de sua Pokéball com o olhar bem cansado e também com o corpo sobrecarregado. O corpo de metal daquela criatura estava brilhando alaranjado como se estivesse pegando fogo, ao mesmo tempo em que este liberava várias fumaças de seu corpo — Wow, você não parece estar nada bem... Pode lutar? — Perguntei para o pequenino e o mesmo me respondia com duas piscadelas. Eu não sabia o que ele havia respondido, mas me mantive otimista e aceitava aquilo como um "sim".

A batalha estava prestes a começar e as garotas não perdiam tempo ordenando seus Pokémons de uma vez.

Minior use Swift e Autotomize! Agora! — Disse Hongsè liderando seu pokémon com muita força. Por outro lado sua irmã Huangsè liderava seu pokémon com muita animação e alegria — Minior, seu cascudo tímido! Use o Defense Curl e Stealth Rock!

Os pequenos meteoros voavam rodeando um ao outro. Um lançava várias e várias estrelas contra seus adversários, aquele Swift havia acertado tanto Magnemite quanto Lickilicky, porém, os pokémons não haviam se ferido tanto. O Minior de cor vermelha finalizava seu turno se encolhendo com um Autotomize, ele com certeza se sentia mais rápido.

Seu parceiro cascudo também atacava. Ele girava em torno de si mesmo formando uma grossa camada de aço em seu casco, um clássico e defensivo Defense Curl. O meteoro voava até seus inimigos desferindo um golpe rápido e forte contra o olho de Magnemite, aquele Take Down empurrava o pequeno ímã para trás, contudo também causava rachaduras na casca de Minior.

Lickilicky e Magnemite se contorciam de dor, as queimaduras haviam ficado ainda piores naquela luta. Deveria pensar rápido e lidera-los no mesmo ritmo.

Ele está tão pequeninho hahaha! Bah! — Debochei da situação até que voltava minha atenção para o estados dos meus Pokémons — Certo... Me desculpe... Lickilicky vamos Chip Away e Rollout! E você! Magnemite! Magnet Bomb e Thunder Shock!

O Rosado toma a iniciativa e atacava seu adversário cascudo com um bruto empurrão. A casca da criatura logo rachava mas não se despedaçava com o impacto de Chip Away. Lickilicky já bem próximo do seu rival se colocava em forma de bola, iniciando o Rollout, após alguns segundos ele rolava para cima do mesmo causando dano consideráveis em sua casca. O gorducho não perdia tempo, ele retornava para sua posição ainda em forma de bola.

Magnemite já carregava seu corpo com energia, ao mesmo tempo que formava um orbe metálico em frente ao seu olho. Ele liberava um raio elétrico em conjunto com a esfera esbranquiçada. A combinação explodia contra o rosto do pequeno Minior fazendo-o ser jogado em uma imensa distancia, mas de alguma forma ele conseguia aguentar a fusão entre Thunder Shock e Magnet Bomb.

Hongsè estava com toda certeza muito furiosa com aquela batalha e fazia questão de mostrar isso, ela rangia seus dentes e pisoteava o chão. A treinadora ordenava seu pokémon com voz alta e grossa — Argh! Minior use o Ancient Power maximizado — Enquanto sua parceira conseguia manter a animação e calma de alguma forma — Haheheha... Minior use Take down e Tackle.

Ambos aceitavam as ordens de suas treinadoras. O pequeno Minior vermelho e sem casca iniciava seu turno com telecinesia, ele conseguia recolher um grande amontoado de pedra e terra com sua mente, depois os arremessava contra Lickilicky. Era de fato um Ancient Power muito poderoso que conseguia arremessar o gorducho no chão. Lickilicky se levantava com rapidez.

O cascudo não ficava de fora, ele investia contra a barriga do linguarudo formando um Take Down poderoso, em seguida utilizava outra investida clássica, um Tackle resumidamente. Aquele golpe não havia causado tanto dano em Lickilicky mas de qualquer forma havia o ferido causando apenas um hematoma.

Lickilicky estava realmente ferido e suas dores só pioravam por conta daquelas queimaduras. Magnemite ainda conseguia resistir mas a cada segundo seu corpo se sobreaquecia cada vez mais. Precisava pensar um pouco para que aquela batalha acabasse imediatamente — Vocês precisam resistir! Magnemite outro Magnet Bomb juntamente com um Spark! Lickilicky Wrap e um Stomp! Vamos!

No mesmo momento o ímã já sobrecarregava seu corpo com bastante energia elétrica, enquanto formava próximo ao seu olho outro orbe eletrizante e metálico. Ele lançava aquele Magnet Bomb contra o seu oponente de casca grossa, fazendo com que este fosse finalmente revelado. O pequeno Minior não era muito diferente do outro, mas possuía a cor amarela e era tão sorridente quanto seu parceiro. Por fim, Magnemite investia seu corpo energizado contra o meteoro cróceo causando bastante dor no mesmo, agora sem aquela casca ele estava um tanto quanto vulnerável e acabava por tomar todo o dano daquele Spark.

Lickilicky já preparava seu golpe, ele disparava sua língua em direção ao Minior de cor vermelha, assim puxava seu oponente para perto de si usando o Wrap. Em seguida o gorducho recolhia bastante impulso e saltava para cima, depois caia sobre o pedregulho o pisoteando com seu Stomp. A pedra vermelha e flutuante parecia não estar mais resistindo, seu movimento havia ficado lento e seu sorriso havia se tornado um olhar tristonho.

Magnemite e Lickilicky ainda se mantinham muito cansados, mas tentavam ficar firmes naquela situação. Ambos aparentavam desmaiar em qualquer segundo, mas não desistiam.

Minior?! Bem que seja. Garoto, use Self Destruct. — Ordenou de forma irresponsável para o seu pokémon — Hehehe! Vai ser um estouro! Minior use Defense Curl e Rollout!

O pequeno Minior parava de brilhar por um instante contendo toda a sua energia por vários segundos, enquanto seu parceiro se afastava rapidamente. A criatura engolia bastante ar, então seu corpo finalmente liberava todo o vácuo formando uma grande explosão de energia. Um Self Destruct poderia ser bem mortal para um pokémon despreparado. Os estilhaços da explosão feria gravemente tanto Lickilicky quanto Magnemite, os arremessando para uma distancia consideravelmente grande. Ambos haviam aguentado o golpe por pura sorte. Enquanto o Minior, bem... Ele ainda estava vivo, mas incapaz de seguir na luta.

Seu parceiro voltava para a batalha girando como um cata vento. Em seguida seu corpo brilhava intensamente em prata, fazendo com que este se tornasse ainda mais rígido por conta do Defense Curl. Ele girava sobre o chão como um pneu, assim corria até seus inimigos prontos para acerta-lhes uma pancada com seu Rollout. No entanto, Lickilicky e Magnemite desviam com muita pericia evitando o golpe por sorte. O pedregulho já muito irado, não deixava barato, ele voltava a girar em direção à Lickilicky, o atropelando de uma só vez.

Aquela briga estava quase em seu fim. Hongsé finalmente retornava seu pokémon que estava nocauteado depois daquele grande golpe, a menina estava claramente furiosa com a situação mas ao mesmo tempo tentava manter sua calma — Retorne... Nós tentamos... — Enquanto eu tentava me manter positiva — Já estamos cheios disso! Magnemite finalize com Magnet Bomb! E você Lickilicky fique quieto! — Estava realmente preocupada com os ferimentos e queimaduras de ambos os meus pokémons, um estava sobrecarregado e outro com hematomas enormes nas costas, além de queimaduras que perfuravam seu couro.

O pequeno magneto carregava em frente ao seu olho uma esfera chocante e de cor cinza, sem mais ele lançava aquele orbe em direção à Minior, o pequenino voava para longe e finalmente era nocauteando com Magnet Bomb.

____________________________________________________________________

Perdemos? Para essa panaca? Sério? — Disse a menina de roupas vermelhas — É perdemos... Hahaha... — Completou a outra sem graça. As garotas logo olhavam uma para outra de forma muito suspeita. Assim Huangsè se apressava e recolhia seu pokémon desmaiado usando sua PokéBall. Em seguida Hongsé jogava sobre o chão uma pequena bomba e esta liberava uma grande cortina de fumaça que cobria todo o campo — Coff... Coff... Que isso? — Tentei enxergar o que acontecia ali mas minhas tentativas eram em vão, a paisagem queimada agora estava rodeada por fumaça e as únicas coisa que se destacava era o fogaréu azulado.

Após cinco segundos toda a fumaça desaparecia e o cenário finalmente retornava ao seu normal. Era mais que óbvio que as duas estranhas haviam fugido da bagunça, mas com muita sorte haviam deixado o estranho aparelho ainda pregado no chão e o artefato ainda se mantinha preso ao mesmo.

Antes que levasse toda a minha atenção para aquela peça, primeiro tinha que cuidar de meus pokémons e claro agradece-los ao máximo — Retorne Magnemite e descanse bastante! Você foi um ótimo ímã e eu não esperava menos — Colocava-o de volta na esfera. Lickilicky também estava muito cansado, só que ele ainda tentava se demonstrar forte e obediente mesmo naquela situação — Você conseguiu linguarudo... V-você conseguiu! — Me aproximava do gorducho e o abraçava com muito amor. Não tinha nenhum medicamento, mas ainda tentava agrada-lo de alguma forma.

Olhava ao meu redor reparando que ainda corríamos um grande risco, com muita preocupação tentava ordenar o grandalhão — A gente precisa sair daqui... Consegue andar? Você está bem? — Lickilicky respondia "sim" com sua cabeça, a mexendo de cima para baixo. Então ia até o apetrecho estranho no chão, recolhia a relíquia da máquina colocando-a em minha bolsa. Assim segui floresta afora procurando por Pei Ling.

Lickilicky e eu seguíamos juntos uma trilha que nós levaria de volta ao morro, onde poderíamos procurar pela garota. Não se passava nem mesmo três minutos de um lugar para o outro e já chegávamos em nosso destino de forma bem rápida. No entanto, Pei Ling não estava lá como o esperado. Meu rosado não poderia continuar caminhando, ele já reclamava de dores e parecia passando nada bem. Um tanto quanto preocupada e sem opção acabei por decidir — Fique aqui... Eu vou procurar pela Pei Ling e você fiquei aqui, entendeu? — Ele nem se quer respondia apenas respira profundamente e se sentava no chão. Deixava-o sozinho naquele morro, sabendo que as chamas não chegariam até ele.

Descia morro abaixo com velocidade, gritando o nome da garota e carregando o pesado artefato. Já estava ficando um tanto quanto cansativo os sumiços de Pei Ling e todo aquele mistério, de qualquer maneira apenas queria acabar com aquela correria cedo ou tarde.

Haviam tantos mistérios para serem resolvidos, quem eram aquelas garotas? Qual era a de Hongsè e Huangsé? Qual seria a maldita causa de todos estes incêndios? Tudo isto corria em minha mente martelando o meu cérebro, eu havia me metido em uma confusão que levaria para toda a minha vida... Estava começando a sentir medo... Muito medo.
____________________________________________________________________
Dados
Peço que sorteiem a chance de Rainbow Shard - 20/100 -
avatar
Feminino
Mensagens : 496

Admin
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Cap.11] — Dragon's Fire

Mensagem por Hermes em Dom Jul 01, 2018 12:18 am

Avaliação do Tio
Olá! Irei avaliar a sua postagem acima, espero que aprecie as colocações e se tiver alguma objeção pode se retratar me enviando uma MP que resolveremos a questão, ok? Here we go!

Caramba... que intenso! Demorou, mas saiu hein? E foi caprichado! Parabéns garota. Antes de qualquer apontamento quero elogiá-la pelo esforço que está fazendo para tornar a aventura ainda mais interessante, a receita está dando certo! Adorando essa pegada misteriosa e ansioso pelo desfecho de todo esse enigma envolvendo a Pei Ling. Bom, o enredo continua com a mesma essência que trouxe no post anterior, a diferença é que neste você soube acrescentar mais intensidade sobretudo na batalha; que dupla de loucas essas meninas, hm? Curti bastante o contraste que deu entre elas, tão parecidas mas com personalidades diferentes. A escrita ainda precisa de alguns cuidados, dando destaque ao uso correto dos termos "nos" e "nós", peço que se atente a isso nas próximas postagens. Ademais, só alguns errinhos minúsculos e facilmente contornáveis, nada que tenha atrapalhado a leitura, interpretação e organização. Novamente, quero dar ênfase ao enredo: Está maravilhoso! Continue assim.

Enredo: 5
Escrita: 5
Total: 10

Ótimo!

Lickilicky ganhou três pontos, subiu do nível 38 para o 41;
Magnemite ganhou três pontos, subiu do nível 20 para o 23.

Lickilicky Status: 5% HP | Burn
Extremamente cansado, sobretudo após essa intensa batalha. Se antes já sentia queimação nas juntas, agora mal consegue fazer um movimento sem se queixar das dores. Necessita de cuidados urgentemente.

Magnemite Status: 50% HP | Burn
O calor do ambiente é o seu maior inimigo e não ajuda nas queimaduras ao longo do corpo. A batalha trouxe um pouco de exaustão, mas nada que um breve descanso não resolva.

Yoshino ganhou 250¥ pela vitória.
Infelizmente não dropou nenhuma Rainbow Shard.
avatar
Mensagens : 121

Pesquisador
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Cap.11] — Dragon's Fire

Mensagem por Sammy em Sex Jul 13, 2018 9:44 pm

Dragon's Fire
Continuei percorrendo aquele caminho em busca de Pei Ling. Atravessava arbustos enquanto descia morro abaixo com muito cuidado e esforço. Estava evidentemente muito esgotada, mas seguia meu caminho usando a força de vontade. Não desistiria daquela missão sem que entregasse aquela peça para a guria. Naquele momento estava me sentindo uma heroína indo salvar seu príncipe.

Alguns metros já foram o suficiente para que finalmente ficasse cansada. Pausava a caminhada por um tempinho, assim admirava um pouco da paisagem flamejante. Aquele caos ainda se alastrava floresta afora queimando tudo em seu caminho. Já estava na hora de resolver aquela confusão ou pelo menos parte dela. Suspirei fundo, acabando por pensar alto — Isso nunca vai voltar ao normal... — Respirava fundo, enquanto limpava com uma de minhas mãos as gotas de suor em minha testa. Mesmo que muito cansada prosseguia o caminho.

Passou-se alguns minutos, até que finalmente chegava em um lugar completamente desconhecido. Um grande amontoado de árvores que não davam passagem para o sol. Com apenas alguns segundo já pude encontrar uma silhueta familiar em cima de uma árvore, a sombra de alguma forma conseguia me enxergar, deste modo me cumprimentava — Cabelo rosa! — Conhecia aquela voz, mas ainda tinha minhas dúvidas. Me aproximei da árvore na qual a sombra estava — Cabelo rosa! Sou eu! — De um segundo para o outro, a estranha Pei Ling descia daquela árvore de forma rápida — AH! Pei Ling! Eu preciso falar com você! E-eu encontrei! — A garota quase que instantaneamente abria um sorriso em seu rosto  — O que? O que?! — Enquanto a menina perguntava, coloquei uma de minhas mãos dentro de minha bolsa, procurando pelo estranho artefato por fim o entregava nas mãos da garota — O que é isso? — Perguntei ao mesmo tempo em que a guria olhava muito feliz para aquela estranha peça — É... É... A Chave de Yánsè! — Ela pressionava a chave contra seu peito, a abraçando com muita força — Ela se encaixa no templo, certo? — Perguntei e a garota respondia — Quase isso... Na verdade, isso vai nos levar até a chama de Entei! — Uma boa parte daquele mistério finalmente havia sido resolvida, poderíamos finalmente ir atrás da lendária Chama, no entanto, eu ainda precisaria voltar para o morro e trazer Lickilicky de volta para o templo — Vai na frente, ainda preciso pegar Lickilicky, entende? —  Pei Ling olhava para o meu rosto bastante animada, assim aceitava a proposta — Certo, vá pegar o rosado! Eu vou te esperar lá! — A menina se virava e corria para a trilha mais próxima. Ela era bem rápida, com certeza chegaria ao santuário em pouco tempo.

Tornava a ficar sozinha mas desta vez tinha como objetivo encontrar Lickilicky. Tomava o mesmo caminho que havia pego anteriormente, subia o grande morro enquanto enfrentava vários arbustos. Assim finalmente encontrava o gorducho tirando um bom cochilo — Hey! Grandalhão, você está bem? — O linguarudo abria seus olhos lentamente, olhava para mim de forma tristonha — Você está nada bem... — Segurava ambas as patinhas de Lickilicky o ajudando a se levantar.  Ele não estava muito bem, na verdade, não estava nada bem. O rosado estava ofegante, além de gemer bastante, ele estava em um péssimo estado. Apoiava Lickilicky em meu corpo e assim nós levava até o templo que estava bem próximo dali.

Poucos minutos foram necessários para que finalmente chegássemos até o santuário. Pei Ling estava lá e como combinado nós esperava — Poxa! Vocês demoraram muito! — Ela estava evidentemente muito impaciente mas ao menos havia cumprido seu combinado — Você não está vendo o estado dele? — Perguntei enquanto seguia a garota para dentro do templo queimado — Oh... Que seja... Temos que usar isso! — Pei Ling colocava aquela peça no encaixe daquela parede, o mesmo brilhava enquanto poeira e cinzas flutuavam para cima.

Com a decoração agora completa, o enfeite girava de forma bem misteriosa. O templo chacoalhava enquanto as cinzas sumiam de um segundo para o outro: as paredes erguiam-se, o chão reformava-se e o teto inexistente era construído repentinamente, transformando a poeira em pedaços de madeira e aço maciço. Após um tempinho, o templo estava totalmente reconstruído.

Wow! O que aconteceu aqui? — Perguntei enquanto observava aquele estranho lugar  — Este é o Templo de Jin qíshì — Pei Lin respondia — Quem? O que? —  O nome era bem estranho para mim e fazia questão de saber mais — Jin Gíshi, o bravo guerreiro pokémon... — A garota respondia dando informações certeiras, até que pausava — Espere... Não temos tempo... Precisamos procurar pela Chama de Entei! —  Seu entusiasmo era mais que contagiante, mas ainda tinha Lickilicky como responsabilidade e o grandalhão não estava nada bem — Argh... Não? Você não consegue ver o estados de Lickilicky? Não tem como seguirmos sem ele. — Estava muito preocupada com Lickilicky e não o deixaria naquela situação  — Ok... Espera! Que tal deixa-lo aqui? Você poderá procurar pela Chama sozinha Cabelo Rosa! Vou cuidar dele... —  Eu confiava e ao mesmo tempo não confiava em Pei Ling, mas ainda sim queria ajuda-la — Certo... Tudo por essa floresta! Eu confio em você, não me decepcione Pei Ling! — A guria sorria como resposta e então puxava o gorducho em sua direção — Não se preocupe, apenas siga essas instruções! Ouça com bastante atenção: vá para onde as chamas brilharão azul e assim encontrará em algum ponto o coração de todas as chamas. — Eu havia passado no ponto onde as chamas eram azuladas, mas não havia encontrado nenhuma joia ou artefato pelo cenário  — Em? Só isso parece ser bem fácil! — Estava mais que preparada para sair dali, até que Pei Ling dava o ultimo aviso — Mas muito cuidado com os Ruìshì... Eles são um casal de leões um pouco... Bem, protetores. — Assustada recuei — Espera, que? — A garota voltava a sorrir mas deixava claro que escondia algo — Nada! Nada! Eu não disse nada. Vá andando antes que anoiteça Cabelos Rosa! — A menina levava meu corpo até a porta me empurrando com força, era evidente que ela tinha pressa — Ok, vou pegar a chama! Tchau... — Antes mesmo que me despedisse a porta do santuário era fechada, Pei Ling agia de forma bem estranha, mas algo ainda me fazia confiar na garota.

Seguia uma das trilhas de terra que me levaria em direção aquela clareira de chamas azuis. Mas devo admitir, estava um tanto quanto desconfiada com Pei Ling, porém, ainda sabia que devia salvar aquela floresta mesmo arriscando minha vida e a de Lickilicky. Tentava manter a positividade enquanto caminhava entre alguns arbustos.

Com poucos minutos de caminhada, talvez trinta ou menos. Chegava até meu novo destino, a estranha clareira do fogo anil. Ela não estava tão diferente quanto anteriormente, na verdade estava exatamente igual do que duas horas atrás. Caminhava com bastante cuidado tentando evitar qualquer tipo de queimadura, ao mesmo tempo em que investigava o solo e alguns amontoados de folhas. Em meio todo o caos e fogo conseguia ouvir algumas falas vindo de trás de algumas árvores, me colocava posicionada entre as árvores e um arbusto, assim me escondendo de todo o perigo — Céus... Hongsè, você devia ter mantido o controle da situação... — Aquela voz possuía muita doçura com uma grande porção de liderança e maturidade. Inclinava meu corpo para o lado me deparando com uma mulher de roupas formais e de cabelos curtos negros.


Certo... Trate de buscar essa garota de cabelo rosa... Logo! — A mulher desligava seu aparelho de comunicação rapidamente, assim suspirava enquanto pensava no que poderia fazer. Era certo que ela trabalhava em conjunto com aquelas estranhas garotas.  

Sem medo aproximava daquela mulher me colocando bem em sua frente, no primeiro momento ela tomava um pequeno susto e depois me identificava — Então você é a que está atrapalhando com meus planos? — Ela olhava para mim de cima a baixo enquanto cruzava seus braços — Hehehe! Sou eu mesma, mas não se preocupe já usei aquela coisa! — Debochava, enquanto a mulher parecia estar surpresa — Você o quê? — Ela realmente estava muito assustada e eu não entendia nada — Que? Qual é a de tanta surpresa? — Desesperada a mulher voltava a falar — Céus... Agora terei que resolver isso! — Assim, ela corria em direção ao Templo de Jin Gíshi sem mais ou menos. Eu tinha que persegui-la mas ao mesmo tempo procurar pela Chama de Entei. Bem, era uma escolha óbvia, iria perseguir aquela mulher até o fim.

Aquela moça corria realmente rápido, desviava de galhos e arbustos com muita maestria ao mesmo tempo que fazia movimentos maneiros. Tentei segui-la o máximo que podia tentando manter o mesmo ritmo que ela. Em pouco tempo chegávamos no grande Santuário Pokémon no qual já estava com as portas abertas.  

Para minha surpresa e a daquela mulher, Pei Ling colocava um artefato brilhante no interior de grande labareda. As mão da guria queimavam mas de alguma forma ela não parecia se incomodar. Lickilicky estava dormindo próximo a porta nem mesmo ligando para a situação, enfim. Aquela estranha moça estava um tanto quanto irritada, ela não segurava suas emoções e já iniciava a confusão com um grito — Pei Ling não pense em fazer isso! — A garota de cabelos castanhos e roupas vermelhas logo se assustava, se virava em nossa direção com o rosto recheado de lágrimas — Jin Sè... Eu preciso dele! — Era certo que não estava entendendo bulhufas, mas ainda fazia questão de me intrometer naquela situação — Está bem... Está bem... Mas alguém pode me explicar o que do por quê? — Ambas olhavam em minha direção — O que você está fazendo aqui? Você deve ir embora... — Antes mesmo que ela terminasse sua frase, a estranha Pei Ling recitava palavras estranhas como se estivesse gritando — Ruìshì bǎohù wǒ! — Aquelas palavras haviam mexido conosco de alguma forma, nossos corações estavam batendo de forma mais acelerada, estávamos com medo de algo e nem se quer sabíamos o motivo.

Segundos mais tarde, um poderoso rugido era emitido de dentro da floresta, patadas viam em nossa direção. Por fim, três criaturas chegavam bem próximas ao templo e nós observavam com muita cautela.  

Pei Ling, você realmente envolverá os Ruìshì? Eles já lutaram muitas batalhas por nós, você sabe disso. Deixe-os descansar na floresta, eles precisam protege-la! — O casal de leões e o pequeno filhote observavam Pei Ling atentamente mas ouviam as palavras da mulher — M-meu mestre amava este lugar, amava tudo... Apenas com essa Chama, vou poder traze-lo de volta ao  fogo... O verdadeiro Fogo do Dragão... — Pude encaixar um pouco da confusão, aquele artefato não era qualquer artefato, era a tão procurada Chama de Entei e esta estava com Pei Ling o tempo todo — Eu não tenho ideia do que está acontecendo! Mas é sério que você me mandou enfrentar todo esse fogo para ir atrás de algo que já estava com você? É as visões com Entei... As visões com aquele grupo? — A mulher sorria sarcasticamente e assim explicava toda tramoia de Pei Ling — Com a Chama de Entei ela poderá controlar seus sonhos dando-lhe um novo objetivo, resumidamente te iludindo... Você não é a primeira... Mas vai ser a última! — Ela corria em direção até Pei Ling, os leões logo se colocavam em posição de batalha e iria investir contra aquela mulher sem medo. Nem pensava duas vezes, lançava as Pokéballs de Raticate e Magnemite contra aqueles leões imensos, a batalha começaria ali sem mais e nem menos  — Nana nina não, essa é uma briga que ninguém não vai se intrometer ou seja fiquem calminhos leõezinhos! — O leão líder, o macho, possuía uma esfera cristalizada presa em sua pata direita, enquanto a sua companheira fêmea ficava ao lado do filhote. Aqueles com certeza era os Ruìshì, os protetores do Santuário. Mas não importava, eles apanharia e muito para meu Raticate e Magnemite, que pareciam tão pra lá do que pra cá.

____________________________________________________________________
Já era hora de uma boa batalha, aquela nova aventura já estava um tanto quanto entediante para mim. Toda aquela confusão só me ajudava a pensar ainda mais sobre toda a situação de Pei Ling. Só que não era hora de pensar mas sim agir, o pau ia quebrar ali mesmo. Lickilicky estava ainda dormindo mesmo com tudo aquilo acontecendo.

Os leões tinham um grande significado para aquela floresta e templo, poderia chama-los até de Lendários. Eu queria aprender um pouco mais sobre aquele trio, mas não tinha tempo para aquilo. Eles estavam bastante furiosos. Suspirei fundo assim liderei Magnemite e Raticate — Magnemite use o Thunder Shock e Raticate vai com tudo usando Crunch!

O rato e o ímã seguiam unidos em direção aos leões. Magnemite preparava em seu corpo chamuscado uma forte carga de energia, em seguida ele disparava um clássico Thunder Shock que ia contra o Leão Líder. A criatura de fogo abria bem sua boca e rugia alto com seu Echoed Voice retornando o golpe contra seu adversário. O raio de Magnemite voltava em sua direção mas o ímã conseguia desviar com perfeição do seu próprio projétil. O rato corria em quatro patas seguindo até a Leoa e seu filhote, ele tentava morder a fêmea com rapidez e força. Ela logo usava a mesma estratégia que seu parceiro, rugindo com um Echoed Voice interrompendo Raticate e sua mordida, lançando-o para longe.

Era óbvio que os Leões não queria uma batalha, eles mantinham todo o foco em Pei Ling e na mulher. Que a propósito estavam brigando uma com a outra lançando o artefato para o alto e o recolhendo uma das mãos da outra. Eles tentavam defender a garota, mas felizmente conseguia segura-los ao máximo naquela batalha.  

Sendo assim, prossegui com as ordens para meus Pokémons — Ótimo, são estragas prazeres. Raticate acaba com essa graça com Quick Attack e Magnemite Spark! — Aqueles leões não cairiam tão facilmente mas ainda poderia prende-los naquela batalha.

O rato prosseguia até o Líder e então o empurrava com um Quick Attack. A criatura não conseguia evitar o golpe, mas nem se quer sentia dor, ele apenas se levantava do chão e continuava a manter o foco em Pei Ling. O ímã voltava a carregar seu corpo com bastante energia elétrica e em seguida tentava acertar novamente o leão Líder usando seu Spark, mas com sorte a criatura desviava saltando para trás.

Aquela batalha estava sendo bastante tediosa, tanto para nós quanto para os leões. Eles continuavam a nós ignorar e mantinham o objetivo de "proteger" Pei Ling. Eles saltavam para fora da batalha e se colocavam na frente de Pei Ling, impedindo que a mulher pegasse o artefato.
____________________________________________________________________

Aquela briga já estava no fim e não tinha modo de vencê-los e eles nem se quer ligavam para nós. Agora que já estava literalmente na frente da garota, Pei Ling se viu livre para implantar a Chama de Entei em meio a labareda — Pei Ling! Não faça isso... Você lembra o que fizemos com Júsè... Ela se tornou dois seres que tentamos entender até hoje... Hongsè e Huangsè estão sempre juntas, mas nunca mais serão Júsè, eu sinto falta delas. — Pei Ling olhava atentamente para o artefato, com choro ela respondia Jin sè — Jin Sè! Eu preciso de Lánsè! Ele era tudo que tinha! Eu preciso traze-lo de volta! — Os leões rugiam ao ouvir aquele nome, a garota estava pronta para colocar o artefato dentro da chama — Você não vai fazer o que quer fazer... Seja lá o que for fazer! Lickilicky chega de soneca! Wrap nessa coisa! — O gorducho acordava quase que imediatamente, ele disparava sua língua em direção as mãos de Pei Ling recolhendo o artefato de uma só vez. Ele ainda estava ferido mas se mantinha esperto e obediente em meus comandos.

Os leões rosnavam para o gorducho, com medo ele lançava aquele troço em minha direção... Agora de alguma forma estava no controle da situação — Certo! Podem me explicar?! Qual é o problema desse troço? Todos estão atrás dele... Até mesmo eu... O que essa coisa faz? Ela que causou tudo isso na floresta? Vamos me contem! — Ambas se mantinham em silêncio por poucos segundos, até que Jin Sè tomava iniciativa — O que você tem nas mãos é a Chama De Entei... O fogo pode simbolizar a destruição e a guerra... Mas também pode trazer a vida, o renascimento, a reencarnação e o conhecimento. A Chama de Entei é uma relíquia muito antiga que foi guardada pelos Ruìshì... Nosso mestre conseguiu encontra-la, mas tempo depois foi morto... Ele parecia... Louco? —  Pei Ling a interrompia — Cabelos rosa! Me de a Chama... Eu posso consertar tudo! — Disse a garota enquanto os leões ainda se mantinha bem agressivos — Nenhuma de vocês responderam minha pergunta... Foi isso que causou tanto sofrimento na floresta? Que mexeu com os Pokémons? — A mulher de roupas formais voltava a falar — S-Sim! Essa chama transforma tudo que toca em fogo e consome a pessoa na eterna loucura! P-Pei Ling sabe disso... Nós perdemos Júsè e este inferno começou! — Era confuso e eu simplesmente não conseguia entender nada — Júsè? Hongsè? Huangsè? Quem são essas pessoas? Me expliquem tudo! — Todos estavam mais que tensos, a situação estava cada vez mais que perigosa. Eu faria questão de quebrar aquela coisa se ninguém me desse um bom motivo para deixa-la intacta — Jú, Hong e Huang... São todas as mesmas pessoas... Júsè havia se perdido na floresta por vários e vários meses, começamos a procura-la e por fim não a encontramos. Nós pedimos para que a Chama trouxesse-a de volta... E ela voltou... Hongsè era seu ódio e possuía vestimentas vermelhas... — Jin Sè a interrompia para completar  — Huangsè era sua felicidade... Que se tornou loucura... E-Eu não quero que isso aconteça de novo, não com Lánsè! — Ambas imploravam pela vida e pela morte de seu mestre, estava em uma escolha complicada e tinha que escolher rápido. Aquela mulher, ou melhor, Jin Sè queria evitar o pior , e Pei Ling queria arriscar pensando no melhor.

Olhei atentamente para o artefato em minhas mãos, por fim o apertei com todas as minhas forças, ele começava a se rachar. As criaturas e as garotas notavam o que eu estava fazendo, Jin Sè fechava seu olhos deixando suas lágrimas rolarem em seu rosto, enquanto Pei Ling lamentava gritando por seu mestre — Lánsè! — O artefato se estilhaçava com facilidade e as consequências de meus atos logo apareciam. O templo se auto destruía ao nosso redor, as paredes se desintegravam em cinzas e o teto se tornava poeira que voava para a floresta.

Com uma rápida observação pude notar que as chamas sumiam de pouco em pouco, todo o caos havia terminado. Os Ruìshì haviam desaparecido da paisagem, enquanto meus pokémons andavam e flutuavam em minha direção. Jin Sè ainda chorando se virava em minha direção — Obrigada... Muito obrigada! Você acabou com essa loucura que resistimos por vários meses... Muito obrigada! — Ela estava evidentemente muito feliz mas ao mesmo tempo abalada. Pei Ling se mantinha quieta e ajoelhada, olhando para o céu feliz diferente de Jin Sè — É... Obrigada! — Era confortante saber que havia as ajudado de alguma maneira, mas devia saber o que seria dali para frente  — Sem problemas... Eu quem agradeço, ainda estou viva né? Hahaha... Então? O que farão agora? — Jin Sè limpava seu rosto de lágrimas respondendo com um sorriso forçado em seu rosto — Devemos procurar por Huangsè e Hongsè... Elas devem estar com fome... Ou sei lá. E você Pei Ling? — Perguntava uma para a outra — Reconstruir todo esse monte de madeira, que chamamos de templo... — Pude interrompe-la como as diversas outras vezes que ela havia feito comigo — Pei Ling... Você não é mais presa a esta floresta... Pode viver onde quiser! Você não se imagina fora daqui? Os Ruìshì vão tomar conta deste lugar, confie neles! Hehe. — A garota saltava de alegria e pensava em minha sugestão — Yeah! Você pode estar certa! Adeus línguas estranhas... Roupas culturais! Eu estou pronta para me desconstruir assim como Jin Sè! — Jin Sè parecia concordar com a ideia, elas poderiam esquecer o passado no qual foram criadas e partir para uma vida nova — Vamos atrás daquelas duas... E cabelo rosa, poderia manter toda essa confusão só entre nós? As chamas sumiram em alguns dias, eu prometo. — Se ela disse, ela estava certa. As garotas abaladas partiram uma segurando as mãos da outra floresta adentro procurando por Huangsè e Hongsé.

Aquela aventura havia sido uma grande loucura e o pior não havia ganhado nada com todo aquele mistério. Portanto, o que me restava era retornar os meus Pokémons e leva-los até de volta ao começo de toda floresta, onde encontraríamos a trilha e poderíamos sair dali mesmo. Retornava Raticate e Magnemite para dentro de suas Pokéballs assim os enchia de elogios de forma bem rápida  — Certo rapazes, vocês mandaram bem... Hora de ir embora! — Agora estava apenas com Lickitung, e meu querido linguarudo estava em péssimo estado. No entanto, ainda precisávamos sair dali. Segurava em suas pequenas mãozinhas e então partia em direção a trilha inicial.
____________________________________________________________________
Batalha Alfa
Peço que sorteiem os Prêmios Alfa e também os Despojos, além de claro meus prêmios no evento!

 
avatar
Feminino
Mensagens : 496

Admin
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Cap.11] — Dragon's Fire

Mensagem por Apollo em Sab Jul 14, 2018 9:25 pm

AVALIAÇÃO
Boa noite, Sammy! Acho que faz um tempo que não nos vemos nas avaliações, certo? Serei bem direto em sua avaliação e espero que você compreenda os pontos apresentados aqui, quaisquer problemas me contate e poderemos resolver na paz e no amor, haha!

Achei interessante como você abordou a história envolvendo todo os acontecimentos envolvendo a misteriosa floresta chamuscada. Você abordou de forma diferenciada, não dando tanto foco para os alfas em si, mas sim o causador de todo o caos na floresta: as chamas de Entei. Não vou mentir em dizer que fiquei um tanto quanto perdido em meio a tantos nomes complicados, fazendo com que eu demorasse a me situar em sua narrativa. Mesmo assim, quando me situei, a narrativa transformou-se em uma história contagiante e deliciosa de ser lida.

Notei alguns erros de escrita, concordância e de formatação em seu texto, mas não foram coisas gritantes e que não afetarão sua nota final, afinal não somos formados em Letras para julgar cem por cento a escrita de uns aos outros, mas uma boa revisada no final do texto pode ser uma boa pedida, pois um errinho acaba escapando aqui e ali quando estamos concentrados em escrever.

Repito que gostei da forma que você abordou todo o problema envolvendo os mistérios da floresta, não dando tanto foco para a batalha em si, mas sim os conflitos causados pelas duas mulheres. Espero que elas encontrem um lugar para ficar pela vasta Aurille e que Yoshino possa dar continuidade a sua vidinha como exploradora.

Escrita: 5.0
Enredo: 5.0
Total: 10
Ótimo


Magnemite subiu 3 níveis chegando ao 26. Magnemite pode aprender Metal Sound.
Raticate subiu 3 níveis chegando ao 33.


Blazikenite
Yoshino cooperou com o governou e investigou os acontecimentos em Scorched Florest. Com isto, ela recebeu uma Cameruptite.


TM PWR: ∞
Yoshino cooperou com o governou e investigou os acontecimentos em Scorched Florest. Com isto, ela recebeu uma TM de PWR ∞.


Rawst Berries
Yoshino cooperou com o governou e investigou os acontecimentos em Scorched Florest. Com isto, ela recebeu cinco Rawst Berries.


TM 11 - Sunny Day
Yoshino cooperou com o governou e investigou os acontecimentos em Scorched Florest. Com isto, ela recebeu uma TM 11.


Link do Sorteio
Devido aos eventos envolvendo um Pokemon Alfa, Yoshino recebeu uma TM14 - Blizzard, uma Shiny Stone e um pote de Zinco.
avatar
Masculino
Mensagens : 472

http://aurille.forumeiros.com
Admin
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Cap.11] — Dragon's Fire

Mensagem por Sammy em Dom Jul 15, 2018 9:08 am

Rota Encerrada!
(Vantagens de ser Admin :3)
avatar
Feminino
Mensagens : 496

Admin
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Cap.11] — Dragon's Fire

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum