Últimos assuntos
» [Dados] Moyra Monoke
Hoje à(s) 4:26 pm por Dados

» Utilidade — Pedido de Avaliadores
Hoje à(s) 4:13 pm por Sammy

» [01] - Em Chamas!
Hoje à(s) 4:03 pm por Moyra

» Evento — Floresta em Chamas!
Hoje à(s) 3:15 pm por Sammy

» Olá a todos!
Hoje à(s) 2:10 pm por Moyra

» [BOX] Moyra Monoke
Hoje à(s) 1:47 pm por Moyra

» [PokéDex] - Moyra Monoke
Hoje à(s) 1:26 pm por Moyra

» [M&T] - Moyra Monoke
Hoje à(s) 1:15 pm por Moyra

» Descrição — Breeder's Central
Hoje à(s) 12:56 pm por Sammy


VI - Scorched Forest

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

VI - Scorched Forest

Mensagem por Janna em Qua Jun 06, 2018 12:46 am

ON FIRE!
Scorched Forest
Sem demora, um avião pegava-me no vulcão e logo me levava para a pacata Miskin. Como chegamos lá pela noite, pagaram-me um quarto no Centro Pokémon da cidade, para que pudesse descansar.

Durante a manhã, tratei de ficar pronta para um dia de calor, colocando um look mais casual: uma blusa branca fresca, um short jeans claro e um tênis confortável. Era isso que precisava, pois seria um dia de muito trabalho. Logo desci e tomei um copo de limonada bem gelada e um sanduíche leve.

Eu e mais uns treinadores caminhamos para a Route 34 com um guia, que nos mostraram toda a história por trás do que acontecia e nos deixaram cientes que não poderia ter nenhum prejuízo para os moradores da região - no caso, os Pokémon. Seríamos muito bem recompensados, inclusive. Depois de tudo, fomos dispensados. Era aí que a aventura começava.




Última edição por Janna em Sab Jun 09, 2018 9:48 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Mensagens : 252

Admin
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VI - Scorched Forest

Mensagem por Janna em Qua Jun 06, 2018 2:12 pm

ON FIRE!
Scorched Forest - Act I
Após as explicações do guia, os treinadores sumiam na mata fechada e comigo não era diferente. Segui entre um caminho alternativo que era mais tranquilo para atravessar, mas em compensação o calor já estava muito presente na floresta, que acabava me sufocando. - Tenho sorte que estou com uma roupa leve. Se estivesse de calça, já teria morrido de calor. - Pensava, ao prender meus cabelos num coque frouxo e simples.

Adentrava mais a floresta e começava a sentir um calor maior vindo do noroeste. Durante a travessia indo para lá, uma sombra passava bem rápido sobre a minha cabeça, cuspindo vários Embers nas árvores de coloração avermelhada da floresta. Liberei Croagunk para ajudar-me, juntamente com Prinplup. - É ele quem estamos procurando. Prinplup, chame sua atenção com o Bubble Beam e Croagunk, dê suporte com Taunt! - Ordenava, ao apontar minha Pokédex para o tal Pokémon. Revelava-me as informações mais importantes, que não dei muita atenção pela batalha já estar começando.

O cenário era composto de um campo cheio de árvores e arbustos em volta, perfeito para um incêndio por parte do adversário - o que aumentaria seu poder extremamente, já que teria o terreno a seu favor. Fletchinder era forçado a parar quando Prinplup o perseguia, materializando diversas bolhas que o atingiam violentamente no peitoral enquanto o sapo venenoso enfurecia-o logo depois. O pássaro mergulhava um pouco instável e cuspia diversas bolas de fogo em ambos, que tentavam desviar, mas seu alvo era mesmo alguns arbustos atrás do campo. As chamas alastravam-se pelas folhas que ficavam logo atrás de Croagunk. Prinplup passava por cima de minhas ordens e usava novamente o Bubble Beam, protegendo Croagunk ficando a sua frente para não ser atingido pelas labaredas e apagando elas no processo - estava aí um traço de sua personalidade que eu não conhecia. Cobrindo suas costas, o venenoso cuspia um dardo venenoso em Fletchinder para atraí-lo e ele não causar mais danos aos arredores.

- Ótimo! Agora combine o Bubble Beam com o Mud-Slap de Croagunk para ser duplamente efetivo!

Voltando-se ao voador, a dupla combinava seus movimentos de forma efetiva: Prinplup exprimia uma determinação em seu olhar, usando a marca branca no peitoral do adversário como um ponto fixo para mirar um feixe de bolhas violentas. Ainda no ar juntava-se com a enxurrada de lama que saia da boca de Croagunk e criava diversas bolhas de lama que por serem pesadas, derrubavam Fletchinder diretamente no chão pelas suas penas ficarem encharcadas. Sua força já não estava mais a mesma de antes e o mesmo já havia aceitado a sua derrota.

- Contanto que você não atrapalhe mais os seus vizinhos, está tudo bem. Eu não vou te dar mais danos. - Aproximei-me dele com uma Oran Berry que havia sobrevivido aos Embers loucos que o mesmo havia lançado no redor. Prinplup e Croagunk concentravam-se em apagar os focos de incêndio menores que no momento, eram obra de Fletchinder. O voador agradecia a fruta e logo a comia vorazmente, era provável que estava esfomeado. Assim que pode se recuperar, levantou voo para uma das árvores próximas, aninhando-se com uma fêmea de sua espécie e seus pequenos Fletchling. Emiti um sorriso espontâneo no rosto e retornei à minha caminhada como se nada tivesse acontecido, com ambos os meus companheiros ao meu lado.


Última edição por Janna em Seg Jun 11, 2018 12:26 am, editado 1 vez(es)
avatar
Mensagens : 252

Admin
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VI - Scorched Forest

Mensagem por Apollo em Qua Jun 06, 2018 10:21 pm

Narração
O seu texto foi bastante objetivo, não enrolando muito e indo direto ao ponto que você queria: controlar o Fletchinder que estava causando um caos na rota. Entretanto, isso acabou causando uma correria enorme no desenvolvimento de seu texto, assim acabando por resultar em uma história rasa. Mesmo assim, gostei de como descreveu todo o cenário, realmente me pondo no local aonde a batalha se encontrava. Não notei nenhum erro em sua escrita, apesar de tudo.

Escrita: 5
Enredo: 3
Nota: 8

Muito Boa

Prinplup (Lvl 25) e Croagunk (Lvl 14) subiram 2 níveis.
Prinplup pode aprender Bide.
Janna Edit: Prinplup esquece Growl e aprende Bite.
Prinplup's HP: 74%
avatar
Masculino
Mensagens : 388

http://aurille.forumeiros.com
Admin
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VI - Scorched Forest

Mensagem por Janna em Sex Jun 08, 2018 6:31 pm

ON FIRE!
Scorched Forest - Act II
Já numa outra clareira, o ardor do fogo que cada vez mais avançava pela floresta era muito mais presente e eu era obrigada a sentar para me recompôr. Eu havia andado alguns minutos que mais pareciam uma eternidade, ao passo que me penalizavam com um cansaço muito estranho. Recostei-me numa árvore, arrumando-me na mochila. Eu sabia que era inoportuno, mas de certa forma aquilo havia se tornado tão aconchegante... Não havia percebido, porém já tinha entrado em sono profundo.

✦ ✦ ✦

Por que... Estou correndo? E do que?
Por que o calor aqui está tão presente?
O que estou fazendo aqui, na verdade?

Ecoavam tais perguntas em minha cabeça, enquanto via uma enorme caverna de terra vermelha e lava incandescente correndo acima de minha cabeça. Eu tentava olhar para baixo, mas aquele não era o meu corpo, não era o que eu estava acostumada a sentir. Aquilo era novo.

Eu havia parado na frente de um Pokémon de juba castanha e feição raivosa, que lutava com uma massa arroxeada que não possuía consciência. Eu tentei ajudar de alguma maneira, mas eu não consegui transmitir meus pensamentos em palavras. - QUEM É VOCÊ, QUEM TE DEU A PERMISSÃO DE VIR AQUI? VOCÊ TEM NOÇÃO DO RISCO QUE ESTÁ CORRENDO? VOLTE PARA ONDE VEIO, AGORA! - E abruptamente tudo começava a esbranquiçar e meu corpo agora estava desacordado e dormente, não mais em estado de sono.

✦ ✦ ✦

No lado de fora, as coisas eram outras. Três cães haviam encontrado-me não sei como e agora, rodeavam-me ferozmente. Desmaiada, aquela era uma situação muito fácil para que os mesmos incinerassem tudo o que tinha ali, inclusive a mim.

Reconhecendo que eu era uma estranha em seu habitat após conversarem um pouco em sua própria língua, decidiram retirar-me dali do melhor jeito que encontraram para o fazer: carbonizando-me viva. Rapidamente cuspiram labaredas enormes e os Pokémon que estavam na bolsa se liberavam, fazendo a tal se dissipar.

"Preciso protegê-la como se fosse minha própria vida. Foi o que ela fez por mim durante esse tempo, então eu não irei fraquejar agora. É o mínimo que posso fazer..." - Dizia Prinplup para si mesmo, enquanto disparava uma enorme massa de bolhas compactadas numa nuvem, de forma giratória. Seus olhos agora carregavam a maturidade de perceber que sua utilidade era tanta a ponto de poder proteger-me com o próprio corpo. Guardava-me, enquanto Croagunk fazia o mesmo, usando o Taunt para atrair a atenção dos três cães e obrigá-los a batalhar apenas com eles, me esquecendo no processo.

"Croagunk, preciso que você me ajude nessa ofensiva. Use seus movimentos junto com os meus para ganharem um poder maior." - Advertia o aquático, sendo rapidamente respondido. Enquanto conversavam, os três Growlithes se organizavam em triângulo, para usar seus campos de visão como se fossem um. - "Tudo bem, Prinp. Eu cubro as suas costas enquanto você pega os da frente."

Os Growlithe iniciavam usando o Ember na direção do centro, que era onde eles estavam. Prinplup era rápido e contra-atacava com uma parede de bolhas dois dos três cães, ao mesmo tempo que Croagunk passava logo atrás dessa parede num ataque surpresa e usava seu próprio braço como um ferrão, socando um deles várias vezes. - "Recua, irei fazer algo que irá derrotar os três." - Croagunk assentia com a cabeça e saía do centro com uma cambalhota, enquanto Prinplup rodava em seu próprio eixo disparando um feixe de bolhas azuladas e rígidas, que explodiam ao tocar no corpo dos três e resultavam numa névoa que atrapalhava a visão. Esse era o momento de Prinplup repetir o mesmo movimento e Croagunk infundi-lo com vários dardos tóxicos, embebendo as bolhas em puro veneno, que reagiam e logo os derrotavam. - "Obrigado pela ajuda, Croagunk. Sabia que podia contar contigo." - Dizia o Pokémon, aliviado por terem conseguido defender a mim.

✦ ✦ ✦

Passado mais algum tempo, eu tive condições de acordar daquele desmaio e já me deparava com Prinplup e Croagunk olhando para meu rosto pálido. Peguei em minha bolsa a garrafa d'água e tomei uns bons goles. - Aconteceu alguma coisa enquanto eu estava dormindo? - Ambos entreolharam-se e deram um sorriso. Levantei em seguida e então, já estávamos prontos para partir novamente.


Última edição por Janna em Seg Jun 11, 2018 12:27 am, editado 1 vez(es)
avatar
Mensagens : 252

Admin
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VI - Scorched Forest

Mensagem por Apollo em Sex Jun 08, 2018 7:17 pm

Narração
Gostei da narrativa do seu texto, trazendo uma história bastante interessante, apesar de curta. Enquanto Janna estava em seu sono profundo tendo sonhos um tanto quanto curiosos, Prinplup e Croagunk encontravam-se batalhando contra Growlithe selvagens. De fato, gostei de ver os seus Pokémon conversando, coisas que não vemos muito em narrativas e afins. Diferente das outras postagens, o enredo dela ficou em cima do muro: entre o raso e o profundo. Talvez, se você tivesse desenvolvido um pouco mais os sonhos de Janna ou tivesse deixado a batalha um pouco mais intensa, sem dúvidas teria recebido um ótimo.

Escrita: 5
Enredo: 4
Nota: 9

Muito Boa

Prinplup (Lvl 27) e Croagunk (Lvl 16) subiram 2 níveis.
Croagunk aprendeu Pursuit.
Prinplup's HP: 64%
Croagunk's HP: 75%
(Essevagabundodoapolloesqueceudebotaroshpencapetado)
avatar
Masculino
Mensagens : 388

http://aurille.forumeiros.com
Admin
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VI - Scorched Forest

Mensagem por Janna em Seg Jun 11, 2018 12:25 am

ON FIRE!
Scorched Forest - Act III
Eu já estava chegando ao cerne do problema, mas algo na aura daquele lugar não estava em sintonia. Eu caminhava pela relva amarelo-avermelhada que forrava o chão terroso e fértil daquela floresta, sentindo a fuligem bailar diante das minhas narinas e o caos instalar-se onde a harmonia já havia feito morada recentemente. Eu não sabia o motivo, mas meus olhos começavam a enxergar aquele local de uma maneira diferente, como se eu pudesse ver a massa negativa logo abaixo dos meus pés. Tentava piscar, checando se eu não tinha enlouquecido, mas logo a mesma voz que se comunicou comigo em sonho manifestava-se em meu subconsciente. Assim que começou a falar, permaneci estática e ouvindo atenciosamente o que essa estranha manifestação compartilhava comigo. - Escute: Você não está louca. Eu lhe dei este poder pois percebi que seu coração era bom e que você está numa sintonia auspiciosa com os seus parceiros, o que me faz acreditar que salvaria meus companheiros desse mágico lugar. Infelizmente as coisas por aqui saíram do controle, mas a única coisa que eu te peço é isso, assim como a todos os treinadores que passaram por aqui e podiam segurar as pontas até eu selar esse mal que pulsa em minha própria casa.

Eu não vou mentir, um arrepio tomava conta do meu corpo ao ouvir a voz daquela entidade que gastava seu tempo com uma jovem treinadora inexperiente como eu. O que faria ele achar que eu poderia ajudá-lo com algo tão grande? Cheia de perguntas, prosseguia por uma paisagem que mudava conforme eu adentrava naquela outra parte: de uma floresta de cor avermelhada, ainda preservando a vida e com alguns focos de incêndio à uma vegetação que gradativamente se deteriorava em chamas. Algumas árvores já encontravam-se totalmente carbonizadas e retorcidas ao chão queimado, era um cenário desolador.

A mais ou menos dez metros de onde eu me encontrava, um som chamava-me atenção no noroeste do caminho. Embora fosse perigoso aventurar-me diante da escala do incêndio que ocorria naquele setor da floresta, eu não podia contrariar a voz que falara comigo minutos antes. Tomei coragem e adentrei os arbustos secos, descobrindo o mesmo Fletchinder que havia liberado logo assim que a jornada pela floresta havia começado. Com um olhar aflito e choramingando, ele agora encontrava-se sozinho naquela situação e machucado. Assim que agachei para cuidar de seus ferimentos, pude escutar uma nítida voz feminina aproximando-se de mim, juntamente com um alto barulho de salto quebrando galhos finos. - Que lindo, hein. Você não parece nada com a descrição que eu tive de meus superiores para contigo. - Gelava de medo, mas precisava confrontá-la de alguma maneira. Virei-me para trás e deparei-me com uma figura presumivelmente vinte anos mais velha que eu, de macacão de couro brilhante preto, cabelos ruivos como o mais selvagem fogo e botas também negras. Não era muito diferente do homem que havia me abordado há uns meses atrás. Respondi, com rispidez na voz. - Só com quem merece. - E identificado seu visual, levantava-me logo lhe dando um soco no queixo.

O cenário daquela luta feminina entre eu e a tal capanga era com um semicírculo de fogo por todos os lados, uma clara desvantagem para ambas. Tal combate corporal também não era bom para mim, já que a mesma tinha mais força e mais músculos treinados que eu, mas consegui ser ágil em alguns momentos e isso havia sido crucial para ter êxito na batalha. Desviando de seus golpes o máximo que pude, usei de golpes baixos para ganhar da mesma, pois era mais vantajoso usar meu tamanho contra ela. Após vinte minutos intensos, a mesma demonstrava sinais de cansaço nítidos. Dei-lhe um chute nos peitos e a mercenária perdia o equilíbrio, sendo carbonizada viva diante de mim. Seus gritos agonizantes diante daquelas chamas altas eram logo abafados por uma explosão que finalizava a duração de seu corpo nesse plano, que obrigaram-me a correr com Fletchinder em meus braços ainda machucado, sem nem dar tempo de apagar as chamas com um Pokémon aquático.

Caminhei com o voador no colo mais aliviada, porém a cena da mulher sendo consumida pelas chamas era algo que martelava a minha cabeça de uma forma muito cruel. O fato de eu tê-la matado era algo ainda muito denso para mim, mas que eu sabia que deveria guardar comigo para sempre esse fardo. Passados alguns minutos de caminhada pela relva queimada, finalmente pude ter um pouco de tranquilidade num local que ainda tinha sido pouco afetado.

Coloquei cuidadosamente o Fletchinder apoiado numa árvore não muito diferente da maioria da floresta, porém a mesma estava intacta. Certifiquei-me de que o ígneo estava confortável e embrulhei sua asa direita numa gaze fina, enrolada de forma zelosa pelas minhas mãos. Tirei uma Oran Berry de minha mochila, apresentei em minha mão direita com a finalidade de que pudesse alimentar-se após uma tarde de acontecimentos intensos e o voador então a comia vagarosamente, com pequenas bicadinhas na superfície azulada da fruta. Em meio a estes cuidados, enunciava emocionada. - Acho que é obra do destino que sejamos amigos. Você quer vir comigo nessa jornada? - Fui respondida com uma fofa confirmação com sua cabeça e logo peguei uma Poké Ball vazia na minha mochila para o Pokémon chamá-la de lar, onde pudesse recuperar dos machucados decorrentes do stress que havia ocorrido naquele dia.

Engolido pela esfera branca, ela tilintava algumas vezes e então emitia um 'click' de sucedimento da captura. Preferi deixar Fletchinder descansar e seguir com a minha aventura para combater o incêndio da floresta. Levantei-me, limpando os joelhos sujos de terra escura e preparava-me para uma caminhada até o coração daquela localidade, que estava muito perto por sinal.
avatar
Mensagens : 252

Admin
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VI - Scorched Forest

Mensagem por Sammy em Seg Jun 11, 2018 2:03 pm

Narração
Oi! Bom dia amiga! Tudo bem? Arranjei um tempo para te avaliar. Enfim, vamos lá.

Sua nova aventura foi um tanto quanto emocionante, teve seus momentos e um bom clímax. Porém teve algumas coisas críticas que afetaram e muito em sua nota final, coisas que saíram passaram muito limites, se é assim que posso dizer. Consta em sua Ficha que Janna possui apenas 14 anos, uma adolescente, enquanto a personagem rival possuía 34 anos certo?

Virei-me para trás e deparei-me com uma figura presumivelmente vinte anos mais velha que eu

Janna sendo uma garota esguia e quase sem nenhum músculo, como ela pode derrotar uma mercenária treinada e ainda por cima bem mais velha que a mesma? Tente imaginar esta cena e ira ver o quão estranho ela se torna, simplesmente é difícil de interpretar este combate. Outra coisa que me deixou com uma pulga atrás da orelha... É que... Bem... Janna possui apenas 14 anos, como ela pode matar uma pessoa e agir minutos de pois como se nada tivesse acontecido? A garota não possui nenhuma psicopatia ou outro problema psicológico, ela simplesmente uma menina solitária, isso até que é bem comum.

O fato de eu tê-la matado era algo ainda muito denso para mim, mas que eu sabia que deveria guardar comigo para sempre esse fardo. Passados alguns minutos de caminhada pela relva queimada, finalmente pude ter um pouco de tranquilidade num local que ainda tinha sido pouco afetado.

E se me permitir dizer, ter matado aquela moça ficou um tanto quanto out de sua história. Simplesmente não era necessário tê-la matado, ficou pesado e grotesco, uma escolha difícil de digerir para uma jornada que está nem na Terceira Insígnia. Da forma mais resumida, foi algo muito, muito forçado mesmo. A briga entre uma adolescente e uma mercenária foi algo que dava até para ignorar e lhe entregar um Ótimo de bandeja. Mas a falta de senso na morte e naquela briga, argh... Isso foi complicado. Por fim:

Escrita: 5
Enredo: 3
Nota: 8

Muito Boa


Fletchlinder foi capturado com sucesso, ele chegou no time com o Nível 15.
avatar
Feminino
Mensagens : 330

Admin
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VI - Scorched Forest

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum